Estética Bucal

A toxina botulínica deixou de ser apenas um artifício para amenizar rugas e marcas de expressão.

Hoje, o complexo protéico purificado ganha espaço nos consultórios e clínicas odontológicas.

A toxina botulínica tipo A é um complexo protéico purificado, de origem biológica, obtido a partir da bactéria Clostridium botulinum. O Clostridium botulinum é uma bactéria anaeróbia, que em condições apropriadas à sua reprodução (10°C, sem oxigênio e certo nível de acidez), cresce e produz sete sorotipos diferentes de toxina – conhecidos como A, B, C1, D, E, F e G. Dentre esses, o soro tipo A é o reconhecido cientificamente como o mais potente e o que proporciona maior duração de efeito terapêutico.

Na Odontologia a toxina botulínica  é usada há pelo menos 20 anos e tem apresentado um potencial de emprego como em casos como:

– Bruxismo

– Hipertrofia do masseter

– Disfunções temporomandibulares

– Sialorreia

– Assimetria de sorriso

– Exposição gengival acentuada

E mais recentemente tem sido descrita a utilização profilática para a redução da força muscular dos músculos masseter e temporal em alguns casos de implantodontia de carga imediata.

Usado no tratamento facial compensatório na odontologia o preenchimento facial pode ser feito por  Cirurgiões-Dentistas para proporcionar uma melhor estética.

Na ortodontia pode se lançar mão do preenchimento para realizar correções em casos compensatórios, onde conseguimos um bom resultado oclusal.

Na implantodontia e na prótese em caso de grandes reabilitações, quando não se consegue bons resultados no tecido mole perioral. Podendo ser utilizado para em variados casos , dentre eles:

-Nasogeniano (bigode chinês)

-Aumento Labial

-Contorno Labial

-Levantamento de Comissura

-Rugas de marionete

Atualmente todos os benefícios do uso da toxina botulínica com fins terapêuticos tornou-se uma realidade no arsenal clínico do cirurgião-dentista. O uso terapêutico da toxina botulínica vem sendo amplamente estudado na Odontologia nos últimos anos e hoje incorpora uma grande quantidade de possibilidades de uso.

Alguns fatores que precisam ser enfatizados:

– A toxina botulínica não causa vício e não é um procedimento irreversível, sendo extremamente segura quando aplicada dentro das normas técnicas.

– Seu uso em seres humanos é realizado exclusivamente por profissionais médicos e dentistas.

– A frequência no uso da toxina botulínica deve ser rigorosamente controlada por um profissional devidamente capacitado e regulamentado para seu uso, sempre.

– Não é aconselhável o seu uso em gestantes ou em fase de lactação.

– A toxina botulínica tem elevada toxicidade em grandes dosagens devendo ser sempre manipulada e aplicada por profissional capacitado e regulamentado.

– Os benefícios aparecem alguns dias após a aplicação e duram em média entre quatro e seis meses.

Mas um Cirurgião-dentista pode aplicar o “botox”?
Diante da grande polêmica em torno da utilização desses procedimentos pelos dentistas, o código que rege o exercício da Odontologia, o cirurgião-dentista está “habilitado a prescrever e administrar toda e qualquer substância farmacológica oral ou injetável que não extrapole os limites da Odontologia”. Neste contexto, o cirurgião-dentista que está devidamente treinado para terapêutica da toxina botulínica, ao fazer o uso do produto para o tratamento de afecções da boca e da face que se enquadre na clínica odontológica, está agindo dentro de suas atribuições.

Se realizado com profissionais competentes, o tratamento com Botox não apresenta maiores complicações (como cicatrizes, mudança na expressão facial). Somente profissionais habilitados e bem treinados podem realizar tais procedimentos. Ainda são poucos os dentistas que atuam nessa área, mas os profissionais acreditam que seja um novo e fértil campo para a Odontologia.